Você está em Home >> Saúde >> Brotoejas

Siga:                         Já fez o seu cadastro? Entre aqui.

Brotoejas

Entenda de uma vez por todas por que elas se formam. E veja como manter seu filho livre desse incômodo

 

 Para começo de conversa, o nome é muito feio. Brotoejas. E o efeito que elas deixam na pele dos bebês é o suficiente para preocupar qualquer mãe. Mas a verdade é que essas bolinhas rosadas que coçam são quase sempre algo bem simples de tratar. E mais: servem de alerta para repensar se os cuidados com as crianças estão adequados.
 
A palavra de ordem para evitar e combater o problema é arejar: nada de empacotar o pequeno com agasalhos e afins. Em geral, cuidados básicos dão conta dessas erupções cutâneas – salvo os casos de irritação extrema ou até infecção, quando uma pequena camada de pus se forma na bolinha. Se elas persistirem, aí, sim, é hora de procurar um dermatologista. Veja mais abaixo.

 

O que são?

A denominação científica da brotoeja é miliária. Trata-se de bolinhas que pipocam na pele, especialmente no pescoço, tronco, ombros e rosto — embora possam surgir no corpo todo. O uso excessivo de roupas é o principal gatilho do incômodo nas crianças. As brotoejas vêm à tona porque as glândulas sudoríparas, as responsáveis por produzir o suor, ficam sufocadas. A febre e o sol também têm culpa no cartório.

 

Por que aparecem com freqüência em bebês e crianças pequenas?

Os bebês são mais gorduchos e as dobras facilitam o acúmulo de suor, o que favorece a ocorrência das brotoejas. Elas atacam principalmente até o sexto mês de vida, mas não são raras em todo o primeiro ano, fase em que a pele ainda é muito sensível.

 

Como preveni-las?

Alguns cuidados básicos têm resultados bem satisfatórios. Manter o quarto do bebê sempre arejado, fugir de roupas sintéticas, evitar exposição excessiva ao sol, refrescar a criança no calor e não agasalhá-la em excesso no frio são as principais medidas. É importante que a mãe verifique sempre se o bebê está confortável à temperatura ambiente. Fora isso, doces e alimentos gordurosos aumentam a temperatura do corpo e podem estimular a produção de suor. Mas alto lá: eles não devem mesmo fazer parte do cardápio de uma criança pequena.

 

Como é o tratamento?

As medidas que previnem o problema também são válidas para tratá-lo. As brotoejas vão regredindo naturalmente, conforme a pele volte a respirar. Um procedimento comum para aliviar a coceira é colocar um pouco de maisena na água do banho. Quando for secar o bebê, evite raspar sua pele. Procure usar toalhas macias e abuse da delicadeza.
Se o quadro piorar, não apele para remédios, sprays e talcos — em excesso, esses produtos podem obstruir ainda mais as glândulas de suor. Assim, o mais aconselhável é buscar a orientação de um especialista.

 

Fonte: Guilherme Conte

 

| Enviar para um amigo | Imprimir | Comentar

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado

Pediatria em foco

Atualidades | Comportamento | Doenças comuns | Higiene | MÍDIA | Nutrição | Puericultura | Saúde | Segurança | Vacinas | Curva do crescimento
DICAS | PERGUNTAS FREQUENTES | Cadastre-se

Pediatria em Foco © 2012. Todos os direitos reservados.

 

Clinica Infantil Reibscheid

Clínica Reibscheid | Links | Localização | Fale Conosco

Clínica Infantil Reibscheid © 2012. Todos os direitos reservados.

Telofone:  11 3801-2676

Horário de funcionamento / atendimento: Segunda a sexta, das 10h às 19h

 

Desenvolvido por: Floot Digital