Você está em Home >> Puericultura >> Sling X Canguru

Siga:                         Já fez o seu cadastro? Entre aqui.

Sling X Canguru

Comparação entre cangurus convencionais e carregadores de bebê ergonômicos.

 

Atualmente muitas marcas conhecidas de puericultura oferecem ao público carregadores de bebês como mochilas (também conhecido no Brasil como canguru) de “nova geração” (BabyBjörn, Chicco, Bebé Confort, Jané, Graco..). As principais diferenças entre estes e os carregadores de bebê tadicionais e ergonômicos descritos nestas páginas são as posturas adotadas pelo bebê neles. Se observarmos um bebê em uma destas mochilas (cangurus), podemos constatar que a postura da cadeira (onde o bebê senta) não é correta.

Habitualmente observamos que as pernas do bebê ficam penduradas em relação ao resto do corpo, e não dobradas no estilo “rã” (postura que favorece o desenvolvimento das articulações dos quadris). Com as perninhas penduradas, o peso do bebê é fica apoiado diretamente na zona genital ao invés do seu bumbum, e sua coluna adquire uma postura não-fisiológica

.A postura de “rã” consiste em levar o bebê no colo com as pernas abertas em cerca de 45° em relação ao eixo corporal (abertura total entre as pernas de 90°), e o quadril flexionado de maneira que os joelhos fiquem à uma altura ligeiramente superior ao bumbum. Isso permite que a cabeça do fêmur fique perfeitamente encaixada dentro da articulação do quadril e é a posição fisiologicamente correta, é uma postura ótima, e previne problemas posteriores desta articulação. Esta técnica de encaixamento ajuda a resolver casos de displasia de quadril leves.

Uma boa maneira de saber se um bebê está bem colocado (ou está em um bom carregador de bebê) é se os pés são vistos pelo outro lado.. na posição frontal (barriga-barriga) se vê por trás e no quadril vê-se pelo lado oposto.

Existem também slings “de nova geração” que podemos encontrar facilmente no mercado, nos quais se pode colocar o bebê em posição sentado, como os slings de argolas (ring slings) ou o pouch sling. Nestes slings consegue-se uma posição correta para o bebê, porém se o ajuste não for correto o bebê pode ficar muito baixo, podendo causar incômodo e dores para quem carrega.

Além disso, nas fotografias promocionais destas mochilas mais comerciais sempre aparecem os bebês olhando para a frente. Esta postura é totalmente contra-indicada. Esta posição obriga o bebê a curvar a coluna na posição contrária à fisiológica, ficando mais ereta, e o deixa exposto à uma infinidade de estímulos diretos, sem possibilidade de proteção, uma vez que não pode se virar.

Outro fato é o incômodo para quem está carregando, já que o bebê tende a posicionar sua coluna e separar seu corpo de quem o leva e altera o centro de gravidade do mesmo, obrigando-lhe a modificar sua postura correta com consequentes problemas nos ombros e coluna e sobrecarga do assoalho pélvico.

A únicas vantagem que encontramos neste tipo de carregadores mais convencioais é a facilidade de encontrar em qualquer loja de puericultura. As lojas especializadas em produtos para bebês têm buscado responder a uma demanda do mercado, mas em nossa opinião, sem observar muito os aspectos mais importantes (ergonomia para o bebê e quem o carrega).

Por outro lado, estas mochilas e slings geralmente podem ser usados por pouco tempo, já que logo se tornam incômodas para quem as usa. Em resumo, pode-se dizer que apesar de apresentar modernos e atrativos designs, ainda lhes faltam muitos aspectos para melhorar, que os carregadores tradicionais já traziam “de série”.

 

Brasil

 

Não há regulamentação para o acessório no Brasil, de acordo com o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial).
Para Renata Waksman, presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria, além do risco de asfixia e sufocação, há risco de fraturas e quedas quando o sling é mal utilizado. "Mas, bem utilizado, é bom, pois permite mais aconchego e libera a mãe para algumas tarefas", diz ela.

Segundo Waksman, devem ser observados alguns cuidados: escolher um produto com tecido macio e confortável, porém resistente, com largura suficiente para acomodar o bebê e laterais elevadas. Bebês com menos de um mês não devem ser transportados no sling, e os pais devem perceber se a criança está grande ou ativa demais para usar o produto.
A agência americana pediu cuidado extra aos pais de crianças prematuras, com peso baixo ou problemas respiratórios e recomendou que a cabeça do bebê fique sempre visível.

O governo canadense endossou as preocupações dos EUA e divulgou comunicado em que recomenda ainda cuidado para que o bebê não vá ao chão pelos buracos do sling ou quando quem o carrega tropeça ou cai.
A associação americana de fabricantes de produtos juvenis foi mais uma a apoiar as preocupações do governo, em comunicado da semana passada.

A associação (JPMA) não reconhece slings e certifica apenas os "soft infant carriers", espécie de mochila em que o bebê fica sentado e ligado à mãe por duas alças. O órgão não vetou o uso do produto, mas repetiu as recomendações do governo.

Para o médico Mike Gittleman, membro da Injury Free Coalition, programa de prevenção ligado à Universidade Columbia, os slings "são ótimos, permitem ao bebê se sentir mais perto da mãe, ouvir o seu coração". "No mundo da prevenção, não dá para dizer "livre-se de tudo, isso é ruim". Em geral, o sling é bom", diz.
Para ele, o importante é que a família se certifique de que a criança não faz parte do grupo de risco -bebês prematuros, com peso baixo ou problemas respiratórios.

 

Fonte: Site redcanguru e Jornal Folha

 

 

| Enviar para um amigo | Imprimir | Comentar

 

Comentários

Mariangela Seixas

Parabens pelo site e pelas matérias. Estou sempre lendo. Adorei esta dos carregadores. Uso os 2 tipos, mas o sling é meu favorito e o canguru do pai, mas acho o canguru melhor para a maior pq vai de frente olhando o mundo. Bj Marcelo e mais uma vez parabéns.

Oi Mari! Obrigado pelos elogios e espero sempre poder ajudar você e suas meninas! bjs

ANDRÉ SEGAL

Faltaram imagens na matéria de sling x canguru... isso facilitaria o aprendizado de quem não conhece o assunto. Aproveitando, parabéns pela excelente qualidade do site!

Obrigada pela dica. Colocaremos em breve. Continue com a gente. Abs

Pediatria em foco

Atualidades | Comportamento | Doenças comuns | Higiene | MÍDIA | Nutrição | Puericultura | Saúde | Segurança | Vacinas | Curva do crescimento
DICAS | PERGUNTAS FREQUENTES | Cadastre-se

Pediatria em Foco © 2012. Todos os direitos reservados.

 

Clinica Infantil Reibscheid

Clínica Reibscheid | Links | Localização | Fale Conosco

Clínica Infantil Reibscheid © 2012. Todos os direitos reservados.

Telofone:  11 3801-2676

Horário de funcionamento / atendimento: Segunda a sexta, das 10h às 19h

 

Desenvolvido por: Floot Digital