Você está em Home >> Atualidades >> Os cuidados básicos com os travesseiros

Siga:                         Já fez o seu cadastro? Entre aqui.

Os cuidados básicos com os travesseiros

Fontes de ácaro, eles devem ser lavados preferencialmente em lavanderias e trocados a cada dois anos

 

Tem gente que considera o travesseiro um verdadeiro terapeuta. É sobre ele que muitas vezes choramos, rezamos, lembramos como foi o dia, fazemos planos para o futuro. De espuma ou pluma de ganso, altos ou baixos, os travesseiros são praticamente inseparáveis. Há até quem os leve junto quando viaja.

Mas você sabia que os travesseiros necessitam de cuidados especiais? “Um travesseiro sem proteção antimicrobiana, com 6 meses de uso, já contém cerca de 300 mil ácaros, e após 2 anos até 25% do seu peso é formado por ácaros vivos, mortos e suas fezes”, explica Renata Federighi, gerente de marketing da Duoflex.

E como devem ser os cuidados para proteger os travesseiros contra ácaros? Será que eles podem ser lavados? E no caso das crianças alérgicas? Devem adotar algum cuidado especial? Tire suas dúvidas a seguir:

 

Como os travesseiros devem ser lavados?

“Os travesseiros devem ser lavados e secados em máquinas especializadas que possam garantir sua secagem completa. Dê preferência às lavanderias especializadas e exija que estas sigam as instruções de lavagem constante na embalagem do produto”.

 

A cada quanto tempo devem ser lavados os travesseiros?

“Nem todos os travesseiros são laváveis e por isso os consumidores devem estar atentos às especificações do produto antes de molhar ou até mesmo entregar o travesseiro para a lavanderia. O processo de lavagem nem sempre é indicado, principalmente quando não podemos garantir sua secagem completa.

Os travesseiros são feitos de materiais fofos, porosos, fibrosos, que absorvem água e umidade como verdadeiras esponjas, e depois de lavados reterão grande quantidade de umidade no seu interior, mesmo quando superficialmente aparentem estar secos.

Somente lave o travesseiro se puder garantir sua SECAGEM COMPLETA e siga estritamente as instruções de lavagem. Se for lavar em lavanderias, que é o ideal, exija que essas instruções sejam totalmente observadas.

O Travesseiro de Látex , é um dos únicos do mercado que pode ser lavado: seus milhares de furinhos colaboram para superventilação, que favorece o processo de secagem. Pelo mesmo motivo, é especialmente indicado para pessoas que transpiram muito durante a noite, além de possuir uma espuma antiácaro, que impede a proliferação de microorganismos e o desencadeamento de alergias respiratórias.

 

Qual o melhor jeito de proteger contra ácaros, especialmente no caso de crianças alérgicas?

“Um travesseiro sem proteção antimicrobiana, com 6 meses de uso, já contém cerca de 300 mil ácaros, e após 2 anos até 25% do seu peso é formado por ácaros vivos, mortos e suas fezes.

Portanto, o ideal é comprar travesseiros com proteção antiácaro. O produto antiácaro utilizado é totalmente inofensivo ao ser humano, pois tem a base de Zinco Piritiona, largamente usado em xampus e cosméticos no mundo inteiro.

Este tratamento compõe a fabricação da espuma, sendo, portanto, permanente e seguro, ao contrário de borrifações e saches, métodos temporários e arriscados. Além disso, evita que os ácaros se instalem nos travesseiros gerando mais conforto e segurança para toda a família.

O cuidado com a manutenção do travesseiro também é fator chave. Indicamos sempre arejar e ventilar o travesseiro, protegido por uma fronha, sob luz indireta. Ao contrário do que se imagina, não é indicado expor os travesseiros ao sol.

No interior do travesseiro, os ácaros encontram a condição aquecida, úmida e com resíduos de pele, gordura e secreções da cabeça, ambiente favorável para a sua proliferação. Além disso, a radiação ultravioleta oxida a superfície do material do travesseiro, deixando-a amarelada.

 

Quando devemos trocar os travesseiros?

A vida útil de um travesseiro é de, em média, cinco anos de uso, mas é recomendado que faça a troca de dois em dois anos, pois a prolongação do uso pode ser uma grande fonte de contaminação por microorganismos. É importante destacar que tudo isto pode ser minimizado com o uso de travesseiros com tratamento antiácaros.

 

A partir de que idade as crianças podem usar travesseiros e qual a altura recomendada?

Uma das principais dúvidas que acometem as novas mães está relacionada ao sono e às condições em que o bebê deve ser colocado para dormir. Depois de tanto tempo ouvindo dos especialistas que os bebês deveriam ser colocados para dormir de lado para que não corressem o risco de sufocar caso vomitassem, o consenso dos especialistas mudou de uns anos para cá.

Depois de muitas pesquisas, a Academia Americana de Pediatria, uma das mais conceituadas instituições da classe, passou a recomendar que os bebês sejam colocados no berço em posição de supinação, ou seja, de barriga para cima.

De barriga para cima, o bebê tem menos chances de se sufocar ou se asfixiar – mesmo se for vomitar, sua reação natural será tossir, chamando a atenção dos pais. No Brasil também foram realizadas campanhas para que a nova recomendação fosse seguida, com o intuito de reduzir os casos de morte súbita.

Para os primeiros meses de vida, não há necessidade de uso de travesseiros. A partir do sexto mês, a criança já pode começar a dormir com um travesseirinho, de forma a preencher exatamente o espaço entre a cabeça e colchão. Isso fará com que as vias respiratórias fiquem livres e a coluna fique alinhada, favorecendo o sono. Acessórios, como o rolinho, podem ser introduzidos gradativamente nesta fase, como forma de impedir que a criança se vire dentro do berço.

A nossa dica é de que os pais fiquem sempre atentos e observem se o espaço entre a cabeça da criança e o colchão está bem preenchido pelo travesseiro e se a coluna está reta e alinhada. Quando perceberem que o pescoço está inclinando para baixo, está na hora de trocar o travesseiro por outro mais alto.

Quando a criança deixa o berço e passa a dormir em cama, então é hora de fazer a troca para um travesseiro adulto, porém baixo. Uma dica importante é que, no decorrer do crescimento da criança, deve-se orientar para se que durma na posição lateral, com outro travesseiro entre as pernas para que não haja atrito entre os joelhos e tornozelos. 

 

Fonte: Site Chris Flores

 

 

| Enviar para um amigo | Imprimir | Comentar

 

Comentários

Tamara

Muito boa matéria!!!

Muito obrigado Tamara. Continue nos acompanhando...

Pediatria em foco

Atualidades | Comportamento | Doenças comuns | Higiene | MÍDIA | Nutrição | Puericultura | Saúde | Segurança | Vacinas | Curva do crescimento
DICAS | PERGUNTAS FREQUENTES | Cadastre-se

Pediatria em Foco © 2012. Todos os direitos reservados.

 

Clinica Infantil Reibscheid

Clínica Reibscheid | Links | Localização | Fale Conosco

Clínica Infantil Reibscheid © 2012. Todos os direitos reservados.

Telofone:  11 3801-2676

Horário de funcionamento / atendimento: Segunda a sexta, das 10h às 19h

 

Desenvolvido por: Floot Digital